Seu filho está na fase de aprender sobre o mundo e precisa se sentir confiante para um bom desenvolvimento. Dar autonomia ao seu bebê se trata de um processo gradual, na medida das novas conquistas e necessidades da criança. O suporte dos pais é essencial para que os filhos adquiram poder de decisão e segurança.

Ser pai é uma caminhada cheia de inseguranças e dúvidas. A chegada de uma criança na família é repleta de experiências diferentes, emocionantes, novas. Só queremos o melhor para os nossos filhotes, por isso nos perguntarmos sobre a melhor forma de educá-los está na nossa rotina. Todos os dias, os questionamentos chegam e saem dos nossos pensamentos. O processo de autonomia dos pequenos é um fator ainda mais confuso. As interrogações são várias: qual é o momento certo e a forma certa de permitir que o meu filho aja sozinho em tantas instâncias diferentes da vida dele?

Na maioria das vezes, encaramos nossos filhos como seres mais frágeis, inocentes, incapazes de tomar muitas das decisões diárias sozinhos. Não conseguimos avaliar, com completa imparcialidade, a capacidade que eles possuem de realizar as próprias tarefas. Assim, acabamos fazendo tudo para os nossos filhos, até mesmo encaixar um bloco de brinquedo que ele está tentando montar.

Você pode achar exagero dar autonomia a uma criança. Mas falamos de um processo gradual, desenvolvido na medida das novas conquistas e condições do seu filho ao longo dos anos. Não é possível fazer isso sem que os passos sejam dados pouco a pouco, para construir um caminho de confiança. Os passos que ele vai andar contribuem para que ele se torne independente, de forma que a autonomia não é depositada pelos pais, mas sim desenvolvida nas resoluções e conflitos que a criança vive. Nós, pais, temos que dar orientação prévia, reforçar a educação e os valores morais que prezamos, guiá-los pelo caminho que naturalmente viverá. Quando os pais dão suporte para que a criança possa realizar atividades sozinha, há uma melhora perceptível em sua capacidade de resolver problemas.

Não precisa se assustar. Incentivar essa independência no seu filho é diferente de deixá-lo tomar decisões sozinho, completamente independente de você. Para que a criança desenvolva o psicológico em torno de soluções para desafios, é necessária uma interação mais autônoma e saudável com o ambiente, e a grandeza dessa interação cresce na medida do natural crescimento da criança.

Ao contrário do que se possa pensar, desenvolver a autonomia não é permitir que a criança faça o que quiser. Pelo contrário, é dar atenção para as soluções que ela decidir e respeitar a sua opinião, guiando-a em direção à melhor escolha.

Aos pais cabe atenção às possibilidades da criança em cada fase da infância. Afinal, a prática da autonomia nas crianças e adolescentes é essencial para desenvolvimento futuro deles, e é importante algumas atitudes por parte da família em prol do crescimento dessa autonomia. Pequenas ações, que são benéficas e muito úteis, podem passar despercebidas. Na realidade, dar uma dose de independência para os filhos, dentro das possibilidades da idade, pode ser bem mais fácil e menos assustador do que parece. Na sua rotina, você pode abrir práticas de fácil aplicação que ajudarão nesse trajeto, pequenas responsabilidades fixadas dentro de um costume diário. Mesmo guardar os brinquedos, tirar o prato de cima da mesa, pegar frutas ou legumes ou colocar os objetos nos lugares corretos são simples, mas efetivos.

Os benefícios de crescer com autonomia

Não ache que autonomia significa deixar a criança aos próprios desígnios. São seres humanos que estão em formação e precisam da nossa constante mediação em suas aprendizagens e ações. A compreensão por parte das crianças da nossa autoridade é fundamental. Além disso, é preciso equilíbrio e bom senso para saber o momento certo de disponibilizar ao seu filho um certo grau de independência e responsabilidade. Pensando nesse âmbito, você educará uma criança emocionalmente forte, mais decidida e segura de si.

Além dos benefícios já citados, a autonomia estimulada na infância gera crianças mais criativas, que se sentem mais seguras para soltar a imaginação, falar o que sentem, ter mais autoestima, ser mais abertas com os pais, fazer pequenas decisões, solucionar problemas e até mesmo mais capazes de aprender e desenvolver habilidades mais complexas. Seu filho se sentirá mais livre, inclusive, para palpitar e errar, pois saberá que está seguro.  Em suma, você auxiliará seu filho inclusive no desempenho cognitivo, englobando a memória de trabalho, autoconfiança, liberdade de raciocínio, capacidade de sistematizar o que pensa, flexibilidade e planejamento para as ações diárias, melhorando as mais simples execuções de atividades que estão disponíveis na infância.

Então, como fazer para incentivar a sua criança a ser mais autônoma desde cedo?

Não existe melhor ambiente para desenvolver a autonomia do que a família

Comece pelo seu lar. A sua presença já é motivo suficiente para tornar este o melhor ambiente para o desenvolvimento do seu filho. Os pais passam a segurança e confiança que as crianças precisam para decidirem por soluções simples. Confira algumas dicas que podem ser colocadas em prática gradualmente nas fases de desenvolvimento infantil.

Incentive as escolhas e a resolução de problemas

O crescimento do seu filho trará novos desafios. É importante que você incentive que ele resolva seus próprios problemas, sempre deixando claro que você está lá para guiá-lo na melhor direção. Claro, os problemas a serem resolvidos por ele serão de acordo com a idade e o crescimento. Pequenos passos, como decidir qual brincadeira querem ou qual desenho desejam colorir, vão se tornando mais amplos e abrangentes com o tempo e crescimento.

Permita que o seu filho realize pequenas decisões

Essas pequenas decisões diárias fazem muita diferença no desenvolvimento infantil. Escolher e alcançar um brinquedo, decidir qual fruta prefere para o lanche, criar a responsabilidade de colocar a roupa suja no cesto ou escovar os dentes são ótimas opções a depender da idade. Aos dois ou três anos, seu filho já pode tirar a roupa sozinho e levar até o cesto de roupas sujas, por exemplo, com o seu auxílio: indique a ele qual o local correto para as roupas usadas e as limpas. Dos dois aos três anos, a criança já pode se alimentar sozinha, se sentar à mesa, guardar os brinquedos, calçar os sapatos sem cadarços e os de fácil manuseio.

Dos quatro aos cinco anos, seu filho já consegue se trocar e fazer sua higiene pessoal sozinho, embora seja importante que você ensine tudo e esteja presente nas primeiras vezes. É possível também que a criança faça algumas refeições sem seu auxílio, como passar geleia no pão com um objeto sem lâmina. A partir dos cinco anos, seu filho poderá arrumar o quarto, a cama, lavar louças leves e te ajudar a preparar alguns alimentos. Esses gestos são importantíssimos para ensiná-lo responsabilidade, empatia e divisão de tarefas.

Permita que o seu filho tenha pequenas responsabilidades

Ir ao banheiro sozinho, com a sua supervisão, ou arrumar a mochila para a escola, são ações interessantes aos três ou quatro anos. Arrumar a bagunça é uma ótima delegação de responsabilidade, simples como colocar os brinquedos dentro do baú, ou recolocar no lugar qualquer objeto retirado, para que a criança aprenda a não deixar nada fora do ambiente devido. Guardar os sapatos da escola em um local adequado pode se tornar um hábito sempre que o seu filho chega em casa. Para ensinar a ação, ela deve ser realizada mais de uma vez até que haja a compreensão do ato.

Se quiser ampliar o leque, poderá incentivar a criança a cuidar da casa de maneiras diferentes, como regar plantas e cuidar dos lixos recicláveis, por exemplo. Além dos aprendizados que já entendemos acima, essas atitudes servirão para maior contato com a natureza, ensinando-o a ser mais consciente ecologicamente.

Dê ao seu filho um animalzinho de estimação

Naturalmente, crianças não podem ser responsáveis pelo inteiro cuidado com um cachorrinho. Mas, se a família escolher adotar um animal, seu filho pode ser responsável por verificar se o pratinho do pet está sempre abastecido.

Ensine que a vida inclui erros e acertos

Os erros fazem parte da vida e, para que a criança se sinta segura para tentar, é necessário que ela aprenda isso desde cedo. Se a criança errou a atividade, os pais devem incentivar que volte a tentar, mostrando que esse é o caminho para acertar.

Esse ensinamento é importante para aprender a lidar com a frustração, e para nos livrar de englobá-los com a nossa superproteção. Seu filho poderá desenvolver resiliência, otimismo, confiança e maturidade. Extrair bons aprendizados de situações anteriormente ruins é uma excelente lição para o crescimento.

Antes de disciplinar, certifique-se de que está fazendo isso pelo bem do seu filho

Estabeleça bem sua autoridade, coloque regras e responsabilize seu filho pelas escolhas feitas. Isso ensinará autodomínio, autocrítica, segurança, responsabilidade e servirá como modelo. Não entenda como repressão, mas como uma maneira amorosa de mostrá-lo que as suas ações terão resultado. Para isso, pense bem na melhor forma e momento para conversar com a criança, pois refletir antes é importantíssimo. Broncas sem sabedoria podem torná-lo um adulto inseguro e muito dependente da opinião dos outros, trazendo o resultado contrário do desejado. Certifique-se de que as suas palavras o tornarão um cidadão melhor e de que a sua disciplina não está banalizada.

O alinhamento ensinará os valores que preza, estabelecendo solidez na personalidade e um ser humano com melhor convívio social. É importante bom senso e muita cautela com a imposição e os tons negativos. Entenda que a conversa só faz sentido para a criança quando ela entende o motivo da repreensão. Por essa razão, deixe claro os motivos, de forma racional. Isso servirá para deixá-lo consciente das próprias atitudes.

Estimule as atividades adequadas à idade

Cuidado excessivo não pode ser confundido com afeto. É necessário permitir que seu filho tome atitudes sozinho na medida da idade. Aprenda e leia sobre a faixa etária do seu filhote para sempre estar consciente do que ele já pode fazer. Seu filho já pode tomar várias atitudes com segurança e destreza, se supervisioná-lo e ensiná-lo com carinho. Além de dedicar um tempo de afeto e confiança entre vocês, você evitará que a correria do dia a dia separe-o de entender a criança com completude, e permitirá que ela cresça em autonomia, segurança e independência.

Converse com o seu filho

Esse é um passo extremamente essencial. A primeira porta para dar ao seu filho confiança e segurança é deixá-lo externar o que deseja, o que ele acha correto e tem vontade de fazer. Observe-o, estude a maneira como ele soluciona os problemas e poderá mediar, ajudá-lo nas resoluções. Manter um tempo diário para saber os sentimentos e acontecimentos importantes da vida da criança ajudará a guiar as suas atitudes. Mostre que os conflitos podem ser resolvidos através do diálogo, aconselhando-o no desentendimento com os amigos, nas diferenças com os colegas ou até mesmo nas próprias dificuldades diárias. O seu suporte é imprescindível para que o seu filho cresça com sabedoria.

Entenda como a escola incentiva a autonomia da criança

Compreendemos nossa importância como instituição para a autonomia do seu filho. Por isso, criamos um ambiente favorável para que ele se sinta protagonista na realização das atividades.

Um ambiente de cooperação, estímulo à investigação e tempo adequado

Nós disponibilizamos para o seu filho todo o espaço e ferramentas necessárias para que ele sinta a liberdade de soltar a imaginação e alcançar o desenvolvimento. Tratamos de tornar o ambiente acolhedor, repleto de motivação, confiança e segurança, para explorarmos juntos a criação e a capacidade de realizar.

Trabalhamos nas cores e formatos que despertem curiosidade, atenção e concentração, com projetos que envolvam seu filho na rotina escolar, pois isso motiva a compreensão de limite, ordem, paciência e fortalece bons hábitos, como horário para higiene e boa alimentação. Estabelecer ligação entre atividade e tempo cresce na criança seu respeito pelo próprio corpo e saúde.

Além disso, buscamos inspirar o respeito mútuo, o debate sobre regras, incentivando a expressão do que sentem por meio de palavras e a conversa entre alunos e professores. Para criar autonomia, também é importante cultivar a cooperação.

Registros que servirão para a orientação dos pais

Sabemos que, quando caminhamos junto com os pais, tornamos muito mais efetiva a nossa função social. Por isso, trabalhamos com a adoção de práticas entre os professores que tornam possível encarar o aluno como indivíduo único, percebendo seus detalhes e personalidade, sua forma de aprender e sua inteligência única, para que possamos sempre manter os pais orientados e atualizados.

Entender a individualidade do seu filho é muito importante para criar as ferramentas necessárias para que ele cresça. Assim, nossa escola é um ambiente que busca potencializar a autonomia do seu filho, permitindo que ele expanda a sua aprendizagem de forma saudável e positiva.

Author

Escreva um comentário